Autor Tópico: Conhecimentos técnicos..  (Lida 21073 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Thunderbird

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2345
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #25 em: Outubro 31, 2013, 13:54:15 pm »
Algum site com as "ratices" e "manhas" das Casal  :P

Tens alguns fóruns dedicados às 50´s nacionais, bem como alguns sites onde podes encontrar peças. Basta procurares no google. Vais encontrar de tudo...Se tiveres alguma dificuldade, apita.
A mecânica, bem como a electrónica da Casal, são simples...
 
 
Rectitude, Courage, Benevolence, Respect, Trust, Honour and Loyalty

Black Toffee

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2414
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #26 em: Dezembro 21, 2013, 16:06:19 pm »
Artigo sobre Travagem
"True men are trustworthy, loyal, helpful, friendly, courteous, kind, cheerful, thrifty, brave, clean and reverent."

Lamas

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2391
É esta a primeira vez que cá venho, desde a ultima que cá estive.

VitorF

  • Descafeinado
  • **
  • Mensagens: 28
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #28 em: Março 04, 2014, 11:55:10 am »
Vi agora e se calhar alguns de vós também, ainda assim aqui vai...


http://www.bikeexif.com/build-cafe-racer
Qualquer semelhança com o acordo ortográfico foi pura distracção ou sentido de humor!

Black Toffee

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2414
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #29 em: Março 04, 2014, 12:31:37 pm »
Já tinha visto este artigo sobre a construção de CRs.

Não concordo totalmente. Não existem linhas que se imponham à criatividade.
Falta o governo a impor linhas condutoras de como se pode fazer uma CR.   >:(
"True men are trustworthy, loyal, helpful, friendly, courteous, kind, cheerful, thrifty, brave, clean and reverent."

JPCarvalhinho

  • Moderador
  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2059
  • João Pedro ;)
    • Iswitch.org
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #30 em: Março 04, 2014, 14:44:36 pm »
Não é impor... são guidelines, o proprio autor assim o define, e acaba com um já vi motas que estão-se a borrifar para isto e funcionaram de forma espectacular... mas se seguires estas linhas, tens 90% de hipótese de não ires parar às facilmente remediáveis :)...


Grande parte destas linhas já as tinha observado mentalmente na minha Daisy quando pensei e repensei o que gostaria de lhe fazer...  :)... Ver alguém que trabalha com design (as in industrial design) a "referi-las assim apenas lhe dá um maior suporte "científico"...


J
In iron we rust... in revs we thurst!

Johnny_1056

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2737
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #31 em: Março 04, 2014, 14:59:41 pm »
Boas;
Esse artigo, tecnicamente é uma nulidade!!! Verdadeiramente lixo!!!
Não passa dum artigo elaborado por um pseudo-artista plástico com a mania que agora também sabe mexer em motos. :-X
Johnny's back to basic! Old bikes aren't dead!

Thruxtonic

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 6224
  • Lean. Hit the Apex. Accelerate. Stay on the bike!
    • Art&Moto
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #32 em: Março 04, 2014, 16:05:49 pm »
Excelente artigo!  !palmas


Uma boa ajuda para pensar e aprender a olhar para uma mota e respetivas transformações em termos de volumes, ângulos, alinhamentos, proporções, etc. Depois, cada um fará como entender.  !thumbup


O Granada, que percebe do oficio, tem andado às voltas para conseguir alinhar o banco com o depósito. E bem. Pois cá está porquê. Não tem conta as vezes que falei a algumas pessoas sobre estes assuntos, principalmente o conjunto depósito/motor, em termos de volumetria e o alinhamento superior, dois dos principais princípios da harmonia de uma CR.


Não sei se já disse, mas depois, cada um fará como entender.
Triumph Thruxton 900 (2004) Mk351

jcabrita

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 6002
  • If you can't race it, it ain't worth the ride
    • Portela Custom Cycles
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #33 em: Março 04, 2014, 16:11:25 pm »
Johnny és um radical  :))
Não me apeteceu ler o artigo, só vi "os bonecos" e os "bonecos fazem sentido, a linha depósito banco, as linhas do quadro e as proporções. É claro que uma mota pode ter estas proporções e ser uma treta, mas são meio caminho andado para ficar qualquer coisa de jeito... ou então mandar todas as regras para as urtigas e fazer uma coisa completamente diferente e saír uma obra de arte  :-\
Bandit CR351
Bonneville Centennial

by PortelaCustomCycles

JPCarvalhinho

  • Moderador
  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2059
  • João Pedro ;)
    • Iswitch.org
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #34 em: Março 04, 2014, 18:19:42 pm »
Leiam os comentários... tem ambos os lados desta "guerra" educada... valem tanto ou mais do que o artigo em si.


Do que percebi e concluo:
Esta análise é puramente no lado estético de uma cafe racer. Não está em lado nenhum escrito que é o que é preciso para se fazer uma caferacer perfeita mas sim que pareça harmoniosa.
E sim,  hoje em dia as CR são essencialmente exercícios de estética com um ou outro apontamento técnico de melhoria de performance... mas que nem a funcção Caferacer cumprem, pois por muito melhor que faças nunca será melhor que uma RR qualquer desta vida.


Chega-se às tantas a conclusão que o que o Johny gosta não são as Cafe Racer, mas sim as streetfighters (essas sim, modificações que puxam puramente pelo lado tecnico da coisa)... mas isso é um forum totalmente a parte :)

E ele não é "artista plástico"... é profissional da profissão :) (mais concentrado nos automóveis, mas é o background dele...)




In iron we rust... in revs we thurst!

Black Toffee

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2414
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #35 em: Março 04, 2014, 19:53:42 pm »
O artigo começa por falar em guidelines, mas termina com rules!olhonegro

As denominadas CR que se fizeram até hoje não precisaram deste artigo, e as futuras continuarão a não precisar.
Como disse atrás, não concordo totalmente com o mesmo. Não existem guidelines no que considero uma forma de arte.
No entanto, acho que as linhas que ele apresenta são consensuais entre os entusiastas das CR.
O artigo vale o que vale, mas podia ter sido escrito sem falar em guidelines, rules ou mesmo laws.

Tenho dito.  :)
"True men are trustworthy, loyal, helpful, friendly, courteous, kind, cheerful, thrifty, brave, clean and reverent."

Johnny_1056

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2737
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #36 em: Março 04, 2014, 20:32:46 pm »
Boas;
JCabrita, achas que os desenhos fazem sentido??
Uma cafe racer acima de tudo tem que ser melhor e mais eficiente que a sua base de origem.
Pegando no exemplo do artigo, tenho sérias dúvidas que esse destroço de CX seja melhor que a sua base original, devidamente aligeirada para atingir o mesmo peso.


Mas vamos por partes;
 - base, a CX é provavelmente das últimas motos com que me vejo a tentar bater tempos num troço conhecido. Mais depressa me via a usar uma original massacrada pelos anos como commuter despreocupada. Tudo na moto leva a que esta tenha uma utilização descontraída e despretensiosa. É daquelas motos em que tudo parece contra a extrair de lá algum veneno: o motor é mais manso que um boi sem cornos, o chassis de "coluna vertebral" com aquela marreca faz com que seja impossível centralizar o peso do condutor de modo a centrá-lo no conjunto, tem um cardan com todos os seus efeitos nefastos tal como o motor longitudinal e o seu irritante efeito giroscópico. Isto apenas numa primeira análise.


 - corte, obviamente que este no mínimo significa menos peso e eliminando os elementos mais extremos, significa logo à partida centralização de massa, algo muito importante para se saber onde está o peso e como o mexer;


 - "the bone line", ele que vá com essa teoria para gajos como o Lawson, Graeme Crosby, Spencer e afins que rebaixavam os bancos das motos até mais não poder por imposições regulamentares que impediam mudar a morfologia dos chassis de série. Esteticamente, não nego que uma certa "continuidade" na linha da moto pode ficar melhor, mas não é obrigatoriedade. E neste caso, de ciclística raquítica, é preferível que o condutor se "encaixe" bem e se sinta à vontade.


 - "the swoop", quando se anda rápido, o que fica atrás não interessa. Desde que tenha uma baquet que cumpra a nobre função de aguentar com o traseiro do piloto, está ok. A aerodinâmica é algo que pode ser negligenciado numa "coisa" tão aerodinâmica quanto um tijolo;


 - ângulos, começa logo por não referir um dos mais elementares, o paralelismo entre a perna e o tronco do condutor, essencial para que este se sinta confortável e usar o seu peso para "puxar" a moto para onde lhe interessa.
A alteração do ângulo da coluna de direcção está limitado pela geometria do chassis e até mesmo "brincar" com a altura da traseira está comprometido por causa do cardan, que deve funcionar o mais alinhado possível com o motor.
Subir os comandos e colocá-los num ponto que sirvam para o condutor colocar o seu peso está fora de questão, porque ao fazê-lo o desgraçado vai passar a vida à bulha com os jorlhos e as "mamas arrebitadas";


 - o resto é treta. Mais que uma moto hipoteticamente da moda, deve tentar-se obter algo que funcione correctamente, quase como uma extensão corporal do condutor.


JPCarvalhinho, não tenhas dúvidas que aprecio imenso as streetfighter, principalmente aquelas que servem para andar depressa. Contudo, não impede que continue a gostar das motos que  ainda conheci na minha infância e das quais se conseguia extrair muita coisa. 8)
Johnny's back to basic! Old bikes aren't dead!

csoares

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 1500
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #37 em: Março 04, 2014, 22:05:34 pm »
Boas;
JCabrita, achas que os desenhos fazem sentido??
Uma cafe racer acima de tudo tem que ser melhor e mais eficiente que a sua base de origem.
Pegando no exemplo do artigo, tenho sérias dúvidas que esse destroço de CX seja melhor que a sua base original, devidamente aligeirada para atingir o mesmo peso.


Mas vamos por partes;
 - base, a CX é provavelmente das últimas motos com que me vejo a tentar bater tempos num troço conhecido. Mais depressa me via a usar uma original massacrada pelos anos como commuter despreocupada. Tudo na moto leva a que esta tenha uma utilização descontraída e despretensiosa. É daquelas motos em que tudo parece contra a extrair de lá algum veneno: o motor é mais manso que um boi sem cornos, o chassis de "coluna vertebral" com aquela marreca faz com que seja impossível centralizar o peso do condutor de modo a centrá-lo no conjunto, tem um cardan com todos os seus efeitos nefastos tal como o motor longitudinal e o seu irritante efeito giroscópico. Isto apenas numa primeira análise.


 - corte, obviamente que este no mínimo significa menos peso e eliminando os elementos mais extremos, significa logo à partida centralização de massa, algo muito importante para se saber onde está o peso e como o mexer;


 - "the bone line", ele que vá com essa teoria para gajos como o Lawson, Graeme Crosby, Spencer e afins que rebaixavam os bancos das motos até mais não poder por imposições regulamentares que impediam mudar a morfologia dos chassis de série. Esteticamente, não nego que uma certa "continuidade" na linha da moto pode ficar melhor, mas não é obrigatoriedade. E neste caso, de ciclística raquítica, é preferível que o condutor se "encaixe" bem e se sinta à vontade.


 - "the swoop", quando se anda rápido, o que fica atrás não interessa. Desde que tenha uma baquet que cumpra a nobre função de aguentar com o traseiro do piloto, está ok. A aerodinâmica é algo que pode ser negligenciado numa "coisa" tão aerodinâmica quanto um tijolo;


 - ângulos, começa logo por não referir um dos mais elementares, o paralelismo entre a perna e o tronco do condutor, essencial para que este se sinta confortável e usar o seu peso para "puxar" a moto para onde lhe interessa.
A alteração do ângulo da coluna de direcção está limitado pela geometria do chassis e até mesmo "brincar" com a altura da traseira está comprometido por causa do cardan, que deve funcionar o mais alinhado possível com o motor.
Subir os comandos e colocá-los num ponto que sirvam para o condutor colocar o seu peso está fora de questão, porque ao fazê-lo o desgraçado vai passar a vida à bulha com os jorlhos e as "mamas arrebitadas";


 - o resto é treta. Mais que uma moto hipoteticamente da moda, deve tentar-se obter algo que funcione correctamente, quase como uma extensão corporal do condutor.


JPCarvalhinho, não tenhas dúvidas que aprecio imenso as streetfighter, principalmente aquelas que servem para andar depressa. Contudo, não impede que continue a gostar das motos que  ainda conheci na minha infância e das quais se conseguia extrair muita coisa. 8)




"...Yet there are things we can do to ensure that the result will look solid and professional.I’ve been influenced by motorbike design for several years, and have built my own café racer. I based it on the same observations that I’ve sketched out here. Hopefully they’ll inspire some fellow builders to invest time into the aesthetics of their project. "

  Não me parece que seja intenção do sr ensinar ninguém a fazer "the ultimate race machine" nem fazer nenhuma a partir dum trambolho. Ele para o seu conceito estético, observou as que considerava boas juntou os conhecimentos técnicos que possui e opinou. Ressumesse a isto. E esta mota foi um exemplo.....
  Mesmo quanto a ser racer ao não, qualquer mero observador repara que os ingleses (e é de onde vêm as cafe racer) fazem "race's" de tudo e com tudo, não querem saber se é o ultimo grito da tecnologia, se tem muitos cavalos ou todas essas minudências. Se acham que podem desafiar os outros, desafiam, o resto é o gozo do desafio e do "riding".
Eventualmente por isso é que as corridas deles tem aquela beleza que raramente as outras têm.

Será que é assim tão dificil de entender?
« Última modificação: Março 04, 2014, 22:10:26 pm por csoares »

jcabrita

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 6002
  • If you can't race it, it ain't worth the ride
    • Portela Custom Cycles
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #38 em: Março 05, 2014, 09:45:49 am »

Mesmo quanto a ser racer ao não, qualquer mero observador repara que os ingleses (e é de onde vêm as cafe racer) fazem "race's" de tudo e com tudo, não querem saber se é o ultimo grito da tecnologia, se tem muitos cavalos ou todas essas minudências. Se acham que podem desafiar os outros, desafiam, o resto é o gozo do desafio e do "riding".
Eventualmente por isso é que as corridas deles tem aquela beleza que raramente as outras têm.

Será que é assim tão dificil de entender?


Até fazem corridas com CB500  !thumbup  e são bem divertidas de ver.
Se cá quisessem fazer um trófeu CB500 eram mandados passear porque a mota não serve para correr e tem poucos cavalos... aliás, aconteceu isso com a Ninja 250cc.  :(
Bandit CR351
Bonneville Centennial

by PortelaCustomCycles

Thruxtonic

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 6224
  • Lean. Hit the Apex. Accelerate. Stay on the bike!
    • Art&Moto
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #39 em: Março 05, 2014, 09:55:31 am »
Acrescente-se, em abono da verdade e para resumir, que foram os ingleses que criaram as competições motorizadas.


Seja como for, o artigo é sobre design de uma classe de objetos, não propriamente sobre motas e desempenho. Mesmo que fossem modelos em plástico para ter na sala, os princîpios seriam os mesmos.
Triumph Thruxton 900 (2004) Mk351

Johnny_1056

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2737
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #40 em: Março 05, 2014, 11:24:42 am »
Boas;
Csoares, então concordas que a moto apresentada tem um aspecto sólido e profissional...
Pois... Eu acho exactamente o contrário... :-X  Apenas consigo ver uma moto semi-desmantelada, reduzida ao básico para circular, sem qualquer aptidão extra relativamente à base original.


Se vamos pegar nos racers ingleses, então convém não esquecer que estes pegaram nas motos da época, aligeiraram-nas substancialmente e potenciaram da melhor forma possível, ao ponto de serem os pais das "bastardas", ou "metisse" se quisermos ser mais "finos". :)
Mas o objectivo só foi um, ser apenas mais performante. Simples. 8)


A sua grande particularidade que os torna únicos, é que se mantiveram fiéis às mecânicas daquela época e não quiseram continuar a acompanhar a evolução das motos.
Não acho isso nada de estranho, eu próprio sou um apaixonado de motos que me marcaram de alguma forma há uns anos e não padeço da doença de querer ter sempre a última palavra. E mesmo no futuro, não me vejo com determinado tipo de motos.


JCabrita, não tenho nada contra as corridas com motos mais fracas, desde que haja uma base de igualdade. Ainda há bem pouco tempo acompanhava o troféu MZ 250 inglês, provas diabólicas. >:D



Thruxtonic, recuso-me a ver as motos apenas pela estética. E se não servirem para andar, não servem para nada. :-X
Johnny's back to basic! Old bikes aren't dead!

Thruxtonic

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 6224
  • Lean. Hit the Apex. Accelerate. Stay on the bike!
    • Art&Moto
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #41 em: Março 05, 2014, 11:41:53 am »

Thruxtonic, recuso-me a ver as motos apenas pela estética. E se não servirem para andar, não servem para nada. :-X


Como queiras, só lembrei que o artigo era somente sobre estética. Se não servem para andar, podem servir para museu!  :)
Triumph Thruxton 900 (2004) Mk351

Johnny_1056

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2737
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #42 em: Março 05, 2014, 12:09:15 pm »
Boas;
Thruxtonic, mas elas têm que andar...
Ou qualquer dia somos condenados a apenas as admirar numa "estante" qualquer... :(
Alguma coisa está mal na estética se esta for contra a funcionalidade... :-\
Johnny's back to basic! Old bikes aren't dead!

dfelix

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2527
    • dfelix.net
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #43 em: Março 05, 2014, 15:09:46 pm »

Esse artigo, tecnicamente é uma nulidade!!! Verdadeiramente lixo!!!

Encara a coisa como uma orientação cosmética para barbudos aplicaram a sua rebarbadora ostentando uns wayfarer.

Tecnicamente... é merda.
Mas, o publico alvo deste artigo não está preocupado com essa questão.
A questão aqui é fazer uns bons filmes para o vimeo ou tirar boas fotos pró instagram!

E isso é um hobbie tão aceitável como... andar de moto!  ;D

Chega-se às tantas a conclusão que o que o Johny gosta não são as Cafe Racer, mas sim as streetfighters (essas sim, modificações que puxam puramente pelo lado tecnico da coisa)... mas isso é um forum totalmente a parte


Eu partilho de certa forma o pensamento do Jóni...
Sejamos realistas: o fenómeno Cafe Racer na sua génese é orientado à performance.
Mas também era um fenómeno local, muito britânico e com motos britânicas.

O que surgiu depois foi uma influencia cuja orientação seguia a mesma linha de emagrecimento. E isso reflecte-se inevitávelmente na cosmética.
Decidiu-se chamar café racers...
Porquê?
Porque era a influencia e nunca surgiu um nome!
Porque o nome é fixe. E porque mete café. E a malta gosta de café!

O que chamamos de "streetfighters" acaba por ser algo ambíguo.
Pois se o conceito original implicava desportivas recentes/modernas transformadas em máquinas de performance, também rapidamente muita coisa foi transformada em objectos inguiáveis por mera decoração.
A linha alemã é um verdadeiro poço de aberrações!


Mas.. não estou a imaginar o Jóni deitar-abaixo a R80 Racer da Ritmo sereno... nem te imagino a chamar aquilo de Street Fighter.


E ele não é "artista plástico"... é profissional da profissão


O termo "profissional" não pode ser sobrevalorizado.
O gajo ganha com este mercado. E no presente é um mercado onde predomina a cosmética e encadernação.


Alguma coisa está mal na estética se esta for contra a funcionalidade...

Concordo contigo.
No entanto, não há nada que obrigue a que as motos tenham que andar.

Se um palhaço decidir pegar numa nineT, decorá-la com pedaços de carrinhos de supermercado... why not?
Haverá um rebanho que certamente irá correr atrás aplaudir a "arte"!
Mas também haverá sempre alguém capaz de perceber que o "rei vai nu"...

« Última modificação: Março 05, 2014, 15:13:03 pm por dfelix »
"Gluten-free before they sold out fashion tattooed fingerstache mixtape. Next level coffee art party selfies. Retro pickled vinyl."

jcabrita

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 6002
  • If you can't race it, it ain't worth the ride
    • Portela Custom Cycles
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #44 em: Março 05, 2014, 15:21:44 pm »

Mas também haverá sempre alguém capaz de perceber que o "rei vai nu"...




O rei não vai nu, vai com uma armadura feita com pedacinhos de carro de supermercado  ;D
Bandit CR351
Bonneville Centennial

by PortelaCustomCycles

Johnny_1056

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2737
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #45 em: Março 05, 2014, 15:23:17 pm »
Boas;
Dfelix, bem aparecido sejas!! ;)


...
Se um palhaço decidir pegar numa nineT, decorá-la com pedaços de carrinhos de supermercado... why not?
Haverá um rebanho que certamente irá correr atrás aplaudir a "arte"!
Mas também haverá sempre alguém capaz de perceber que o "rei vai nu"...



A descrição mais genial com que me deparei duma determinada moto tão badalada. !palmas
Johnny's back to basic! Old bikes aren't dead!

Lamas

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2391
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #46 em: Março 05, 2014, 15:27:44 pm »
"Se um palhaço decidir pegar numa nineT, decorá-la com pedaços de carrinhos de supermercado... why not?
Haverá um rebanho que certamente irá correr atrás aplaudir a "arte"!
Mas também haverá sempre alguém capaz de perceber que o "rei vai nu"..."

Na mosca. !palmas !thumbup
É esta a primeira vez que cá venho, desde a ultima que cá estive.

Thruxtonic

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 6224
  • Lean. Hit the Apex. Accelerate. Stay on the bike!
    • Art&Moto
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #47 em: Março 05, 2014, 16:59:18 pm »
Boas;
Thruxtonic, mas elas têm que andar...
Ou qualquer dia somos condenados a apenas as admirar numa "estante" qualquer... :(
Alguma coisa está mal na estética se esta for contra a funcionalidade... :-\

É óbvio, isso da estética e da função, embora toda a gente saiba que os saltos altos das senhoras vão contra a função dos sapatos e a gravata é uma espécie de nó górdio inútil em termos de função que não a social.

Porque é que te sentes ameaçado de "sermos condenados a apenas admirar"? Eu ando de mota, e acho que tu também.  !zonzo

Vamos ver uma coisa simples de compreender:

Problema de ossos - ortopedia.
Problema cardíaco - cardiologista.

Ok? Agora, experimenta lá:

Estética - design.
Motorização - engenharia mecânica.

Capice?

O artigo era sobre design - sim.
O artigo era sobre performance - não.

As pessoas que não andam de mota, podem apreciar as motas? - sim.
As pessoas que não andam de mota, podem sentir a performance das motas? - não.


Corridas de motas? - performance.
Lazer e contemplação? - estética.

Simples? Depende da pessoa. :-\

Quase tudo o que o dfelix escreve parte de uma premissa errada. Sendo certo no raciocínio, parte da falácia de pensar que o fenómeno CR foi mecânico, quando na realidade se tratou, e trata ainda hoje, de um fenómeno cultural. E não foi local, nem britânico sequer. Tal como os Beatles, foram uma manifestação cultural global no ocidente que, simplesmente, tal como a mini-saia e outros, nasceu ali.

Quem conhece um pouco de antropologia cultural percebe o que eu digo. A Grã Bretanha produziu uma ruptura geracional que nasceu ali porque era lá que era mais acentuada. Levar este momento histórico para o campo da mecânica é diminuir toda a importância efetiva que esta cultura representou e ainda representa.

Ainda a propósito dos carrinhos de supermercado usados em motas, prefiro alguém que faça uma coisa que nunca ninguém fez, goste-se ou não, do que os "criativos" que andam há uma vida a pintar chamas e caveiras nas motas e nos coletes por... sei lá... irreverência? É isso? O é mesmo para explorarem formas novas durante 70 anos???





« Última modificação: Março 05, 2014, 17:01:07 pm por Thruxtonic »
Triumph Thruxton 900 (2004) Mk351

Johnny_1056

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2737
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #48 em: Março 05, 2014, 18:16:21 pm »
Boas;
Thruxtonic, é neste tipo de discussões que tenho pena de estar tão isolado geograficamente, impedindo a presença nos vossos encontros regulares. Esta discussão à mesa, frente-a-frente seria memorável.
De qualquer forma, mesmo por este meio, é sempre bom tê-la. ;)


Vou passar a parte da indumentária, nunca usei gravata nem saltos altos. Admito, desde já que pouco percebo do assunto. :))


Contrariamente ao que possas pensar (não sei se é bem assim ou meramente uma suposição minha?), até sou um gajo bastante tolerante e permissivo em relação à arte, apreciando-a de diversas formas, desde as mais clássicas até às mais contemporâneas.
Talvez apenas me recuse a achar que muita coisa que sai da normalidade ou pretende ser diferente só por que sim e muitos "catalogam" de alguma forma como "manifestação artística, efectivamente assim o seja. E nesse aspecto, admito que possa ser bastante crítico. Outra coisa não seria de esperar dum gajo que chegou a pensar dedicar-se ao design de corpo e alma e depois decidiu ir trabalhar para as obras. :))


Com tudo isto, não podes ficar a pensar que menosprezo a estética e/ou o design.


Discordo da tua opinião em relação ao que o Dfelix escreveu, com o qual concordo. Ele não partiu da premissa que o fenómeno CR tenha sido meramente mecânico, mas este foi garantidamente o seu "motor de rebelião".
Pegando no outro exemplo apontado, os Beatles; se não fosse o seu ritmo diferente e mais arrojado tinham continuado a ser mais uns putos de Liverpool iguais a tantos outros da época. No fim de terem cativado imensa gente com o seu som particular, fidelizaram seguidores.


Não é preciso andar sempre a pintar chamas e caveiras, mas continuo a gostar da ideia dum hot-rod preto fosco com chamas e quem sabe... uma caveira no topo da alavanca da caixa de velocidades. 8)
Johnny's back to basic! Old bikes aren't dead!

dfelix

  • Ton Up
  • *****
  • Mensagens: 2527
    • dfelix.net
Re: Conhecimentos técnicos..
« Responder #49 em: Março 05, 2014, 18:50:22 pm »

Estética - design.
Motorização - engenharia mecânica.


Capice?


Acho que se está por aqui a misturar demasiado os conceito de arte com design.
É verdade que o segundo está intimamente ligado ao primeiro. Mas não são bem a mesma coisa.
Podemos escrever resmas de posts e dissecar aqui toda a filosofia em torno da arte.
Mas quando falamos em design, vamos acabar por inevitavelmente envolver ciencia e/ou tecnologia.


A descrição da wikipedia sobre Design Industrial é exemplar:


"Industrial design is the use of both applied art and applied science to improve the aesthetics, ergonomics, functionality, and/or usability of a product, and it may also be used to improve the product's marketability and even production. The role of an industrial designer is to create and execute design solutions for problems of form, usability, physical ergonomics, marketing, brand development, and sales."


Se não tem funcionalidade, ergonomia e usabilidade para além da estética... não é design. É arte.
Se conseguimos ou não assumir uma moto como uma forma de arte... esse é um assunto completamente diferente!


Até aceito que se considere como "design" uma orientação cosmética destinada a aumentar as vendas ou a reforçar uma marca.
Aquela aberração da Lotus é um exemplo extremo disso.
Mas por norma estas "coisas" não são motos. São conceitos...
(Já dizia o outro... não estás a comprar o produto, mas sim o conceito!)




Quase tudo o que o dfelix escreve parte de uma premissa errada. Sendo certo no raciocínio, parte da falácia de pensar que o fenómeno CR foi mecânico, quando na realidade se tratou, e trata ainda hoje, de um fenómeno cultural.


A génese do fenómeno é mecânica!
Ninguém começou a descascar e cortar motos porque ficou bonito!
O fenómeno começou porque havia corridas de rua, havia apostas e havia quem queria ganhar!


A questão da ruptura geracional é um tema indiscutível.
Mas o fenómeno café racer foi um nicho absorvido nessa imensa manifestação cultural global. Como muitos outros.
E sim... foi bastante localizado!
O que não quer dizer que não tenha influenciado outras culturas, nomeadamente no novo continente.


Agora, afirmar que as "café racer" são representativas de toda essa manifestação cultural global é tão parvo como dizer que os carros tuning são representativos da cultura hip-hop!
 ;D


...os "criativos" que andam há uma vida a pintar chamas e caveiras nas motas e nos coletes por... sei lá... irreverência? É isso? O é mesmo para explorarem formas novas durante 70 anos???


As chamas e caveiras é uma decoração tão válida quanto a faixa longitudinal xadrez da tua Thruxton.
São elementos cosméticos que se tornaram cliché num determinado contexto, e portanto se tornaram representativos de determinado espaço e época.
Podemos nos identificar com eles ou não.
Um pouco como a arte!


Alterava muitas coisas numa nineT se me oferecessem uma.
Mas ultima coisa coisa que a faria seria inutilizá-la enquanto moto.
Chamem-me conservador que não me importo.
 ;)



"Gluten-free before they sold out fashion tattooed fingerstache mixtape. Next level coffee art party selfies. Retro pickled vinyl."